Day 12 – Bonjour Paris

26 04 2012

E mais um dia começando, e nao um dia qualquer, ESTOU EM PARIS! A minha primeira vez em Paris foi excelente na companhia de meus pais e irmã, mas agora com uma mochila a visita a cidade luz fica diferente.

De manha acordando no hostel, achei que o cafe ia ate 10:30 e na verdade ia ate as 10:00, em resumo perdi o cafe mas ate que foi bom pois tomei cafe na rua comendo uma baguete com queijo Brie. Aqui eles nao muito padrao de lanches, em alguns lugares consegue comer uma baguete com bastante recheio e outras nem tanto. Esse meu “café” foi na frente do Louvre, concordam que valeu a pena perder o cafe da manha? 🙂

Eu e meu parceiro e irmão Johnny adentramos ao Louvre sem fila na frente, diferente do que me lembrava com filas intermináveis e o famoso “Oui Necessi” (piada interna) que foi lembrado em vários lugares. Nao me lembrava, mas o Louvre é um complexo de lojas, cafés e até uma Apple Store dentro da Pirâmide. So ali da para passar algum tempo contemplando o local. Pegamos nosso ticket e entramos no museu e assim, para quem nunca esteve no Louvre prepare-se por que vai andar muuuuuito e ver obras maravilhas. Como nessa minha viagem peguei carinho por me perder e batata, la dentro você se perde mesmo mas pense em se perder e derrepente sair na ala egípcia com muita historia. Quero me perder sempre assim!

Depois de 4 horas e meia de Louvre, e vimos acho que metade do museu fomos andar ate a Champs Elisè e descobrimos que Paris o tempo funciona assim, esta sol e um dia agradável e do nada vem uma chuva e vento que é necessário parar para se abrigar, mas no caso estavamos no meio do parque que divide o Louvre da Champs e la nao tem onde se abrigar. Mais afrente vimos um loja de Souvenirs e la ficamos um tempo ate a chuva dar uma trégua e ela logo cessou partimos em direção ao Arco do Triunfo e andar em Paris é demais. Tem gente do mundo todo e essa qualidade de Paris me encanta.

Andando pela Champs Elise chegamos ao cruzamento do Hotel des Invalides e fomos ate la mas ja estava fechado. Andamos por la e renderam ótimas fotos. Chegando ao Arco do Triunfo é algo magico por que ele é um dos mais belo monumentos do mundo, na minha opiniao e la ficamos curtindo no meio de um Tsunami de japoneses e outras milhares de pessoas.

Terminamos o dia cansados de tanto andar, mas com ótimas lembranças. De volta ao hostel conhecemos um pessoal e la ficamos com eles no Happy Hour com ótimas Pint’s e boas conversas.

Sinto falta da comida de casa!

Edu

Anúncios




Day 14 – Domingo em Paris

26 04 2012

Esse dia acordamos tarde por que a noite durou bastante. Logo que acordei troquei algumas mensagens com o Rodrigão, amigo meu que vive em Paris estudando e tendo uma verdadeira vida de louco. Nos encontramos no metrô Crimée e de la fomos ao Cemitério onde estão enterrados muitas celebridade. Parece um passeio meio mórbido, mas vale bem a pena pois trata-se de obras de arte e poder dizer que ja viu o Jim Morrison e Alan Cardek em seus devidos túmulos.

Nesse dia aconteceram as eleições presidenciais aqui na Franca e nada estava aberto. Pensem que eles sao preguiçosos, num domingo e dia de eleição. Almoçamos um sanduba em frente ao cemitério e fomos em direcao a Galeria Lafayette e adivinhem, fechada! Tentamos ir na Ópera que fica bem perto e la estava aberto, mas na exata hora que pisamos dentro o segurança fechou a cancela que acesa o interior. Ahahahahahah

Depois de andar pelo bairro, decidimos ir para Montmart e la as coisas nao fecham nunca. Subimos por tras da escadaria principal e foi uma ótima experiência de encarar as loooongas escadas e reparar em alguns Grafittes escondidos. Nesse local é um ar diferente de tudo o que ja vi. Muita arte na rua e a famosa Sacrecrer que sua vista maravilhosa para Paris encantam a qualquer um.

La comemos um otimo crepe de queijo e descemos as escadarias para irmos ao Moulin Rouge. Na descida tem que ficar muito ligado por que tem muita gente e na Europa quando junta muita gente cuide dos seus pertencesses que os batedores de carteira estao por todos os locais. Vi que um indiano estava vendendo Heineken na escadaria e ele me disse que sai €2 e dei risada e ofereci €1 e ele me disse que nao. No final das contas paguei €0,96 e tomei descendo Montmart ehhehehehe.

Chegamos a rua que vai ao Moulin Rouge e la parece uma Rua Augusta. Cheio de barzinhos, casas de diversão adulta (entendem?) e pessoas para todos os lados. Chegamos ao Moulin e vimos que a entrada custa os míseros €100 para assistir o show e ficamos so nas fotos da fachada.

O Johnny leu sobre o bar onde foi gravado o filme Amelie Poulan e la fomos nos conhecer. O bar tem um ar mega Cult, com ótimas cervejas e gente bonita. De la saímos e fomos ao Trocadeiro ver a vista da Torre de noite e fiquei um choque com a vista





Day 13 – Versailes

26 04 2012

Ontem havíamos ja nos programado para ir a Versailes ver o Jardim mais incrível de todo o mundo. Existem excursões que vao para la mas cobram um preço absurdo e la a para chegar de RER que é um trem que chega la em meia-hora e custa €3.

No caminho fomos lendo os nossos guias e no meu dizia para comprar o ingresso logo ao sair da estação pois la tem fila intermináveis e isso fizemos. Paga-se cerca de €4 a mais mas evita filas que no dia estava tranqüila mas assusta pelo tamanho mas ela nada bem rápido.

Visitamos primeiro o Palácio que é demais e la da para ter noção das “bagunças” que rolavam na epoca. La dentro fica repleto de pessoas e se empurram para ver os aposentos da Madame Louca e realmente é lindo de ver de perto e imagina a quantidade de tempo que se passou e tudo continua do mesmo jeito.

Descemos aos Jardins e la esta rolando um festival de musica e com as fontes espalhadas pelo Local e é muito bonito de ver. Quando menos espera, entra em uma viela de arvores e la esta a fonte e dançando conforme a musica. Fomos ate mais da metade do Jardim mas ele é imenso e la ficamos durante um tempo olhando as belas vistas e intermináveis arvores espalhadas por todos os lados.

Saimos de Versailes e dentro do trem fomos vendo onde iríamos e decidimos ir a Catedral Notre Dame e la sim tinha fila. É a atracao mais visitada da Franca e ainda por cima é gratis entao pensem em Muuuuuita gente. Por nossa sorte caiu mais uma das chuvas parisienses de 5 minutos e la nos abrigamos numa lojinha e encontramos alguns brasileiro e trocamos boas informacoes sobre o que fazer. Essa conversa me deixou de boca aberta de saber que o cara que conhecemos mora em esta morando em Paris a alguns meses e ainda nem tinha entrado na Notredame. Mas por aqui isso é comum! Depois da chuva para, fomos para a fila e andou bem rápido. Dentro da Catedral da para entender por que é a atracão mais visitada pois é realmente monumental.

De la fomos a uma ponte que chamam da Ponte do Amor e la coloca-se um cadeado simbolizando o amor. Um ótimo visual da Notre Dame arredores. Andamos beirando o Rio Sena e de la fomos de volta ao hostel. Dentro do metro vimos um show de um musico que mandava muito bem na viola e a voz dele era incrível.

Na volta passamos num supermercado Para comprarmos sustento básicos (cerveja, vinho e batata frita). Essa noite tomei um excelente vinho Frances por €3 e curtimos com o resto do pessoal do Hostel o fim de noite.

Bjos
Edu





Day 11 – Holand goodbye, Bounjur Paris

20 04 2012

Muito bem amigos, ca estou sentado em um Speed Trem escrevendo este belo e premiado artigo. Ahahahahah.

Ontem de noite fiquei pelo hostel no Happy Hour e renderam boas risadas com alemãs e a noite foi irada! Uma hora subi para pegar mais um casaco e vi que tinha um figura na minha cama e logo pensei, ainda bem que sei dar socos e ponta-pés pois ali estava armado o vale-tudo. Acendi a luz e um BRASILEIRO gente fina que mora na Alemanha disse que a moça recepcao veio e retirou minha coisa (pijama, carregadores de devices e outras coisinhas que estavam na minha EX cama) fui ate a recepcao e peguei tudo embalado num saquinho fechado e so eu poderia pega-lo. Apesar da vergonha de estar na cama errada, foi legal de ver como funcionam as coisa. Eu disse Funcionam!

Batei um brlo papo com o brasileiro que se dizia de São Paulo, mas na verdade é de Campinas (lembrei da minha querida Chefa Carol). Sai de la e continuei com o pessoal mas fui dormir logo em seguida.

Hoje de manha ja acordei com o brasileiro que , roncou mais alto que o Jô Soares depois de tomar 1000 litros de Wiskye. Enfim, dormi e acordei zero bala para arrumar minha coisas e ir para a Central Station tomar meu trem para Paris. Aqui é tudo muito certo com horários e nao se preocupe, se esta escrito que seu trem vai sair as 13:16 que foi meu caso, ele sairá e chegara a hora “prevista” e por isso nao me preocupei com o horário para sair do hostel. Tomei o Tran para a Central e ja fui me despedido dessa cidade magica e que pretendo voltar mais 1233222 vezes para descobrir mais lugares e coisas interessantes. Amsterdam é imperdoável para todas as pessoas, sejam doidonas ou amantes de bons restaurantes e ótimas, mas assim, OTIMAS cervejas.

Ja na Central fui tras de onde seria minha plataforma e olhei que estava tudo super Ok para meu embarque e fui atras de almoço. Comprei numa rede de mercadinhos dentro da estacao uma bela salada com camarões e um molho que experimentei antes para ver se era apimentado, e era bem suave, a primeira impressão. Confesso que a salada estava incrivel, mas tinha pimenta ate no meu queixo quando acabei. Ah, minha bebida foi um garrafa de vinho frances por €4 e la fiquei esperando na plataforma o tal trem chegar.

Logo que acabei de comer veio trem da Talyss e por fora paraece um trem meio velho mas por dentro é show de bola. Estou sentando numa super janela e com um vista da Holanda que recomendo a quem puder fazer FAÇA. As paisagens passam de campos de tulipas, aqueles cata-ventos gigantes ate periferias que parecem bem barra pesada. Durante minha viagem tive a companhia de uma senhora ao meu lado que estava com um bolo como sua mala de mao. Nao entendi bulhufas do que ela falava! Okey okey okey é o que dizia. Ahahahahahaha preciso desenvolver meu holandês e francês, nota!

Minha chegada em Paris foi ótima e numa das maiores estações de metro e trem da cidade, bem facil de andar (NOT). Andei durante uns bons 20 minutos ate chegar ao albergue e me hospedei num quarto de 6 camas que ja estavam dois australianos completamente loucos brincando de virar Absolut para dar uma animada. Caras gente fina, mas difícil entender o que falam. Desci e logo encontrei meu parceiro Johnny que esta no mesmo albergue e la ficamos batendo papo na beira do canal que fica do lado tomando um pint de cerveja. Resolvemos manter nosso tratato de no primeiro dia irmos ate a Torre Eifel ver o cair da noite e a Cidade Luz acender. Umas das coisas mais lindas que ja vi durante a viagem sem duvidas! Subimos a pé e com um visual maravilhoso mas com um vento beeeeem chatinho.

Voltamos ao Hostel para comer e resolvemos comer um sanduba muito bom com algumas cervejas diferentes compradas em uma das milhões lojas de indianos que povoam a Europa. Aqui no Hostel tem um bar que é meio que uma baladinha de noite e descemos para ver, mas com a ideia de ir dormir cedo por que os dois estavam cansados. Resumo da historia, fomos dormir as 3 da manha e conhecemos uma galera gente fina.

Primeiro dia em Paris foi incrível!

Edu

20120420-214907.jpg

20120420-215005.jpg

20120420-215026.jpg

20120420-215051.jpg

20120420-215110.jpg

20120420-215156.jpg

20120420-215217.jpg

20120420-215232.jpg

20120420-215256.jpg





Day 10 – AMS faz frio pra cace…

18 04 2012

Ontem terminei meu post falado que ia ficar no hostel, mas depois de falar com uma querida amiga do Brasil eu disse que ficaria por que estava chovendo e frio, ela disse: Edu, coloca um casaco e sai, eu sairia! Batata, coloquei meu casaco e sai! Obrigado Juju.

Fui tomar alguma cerveja Irlandesas num Irish Pub aqui perto do Hostel e que delicia, parece que precisa tomar de colher de tão encorpadas. Depois fui ao Bulldogs continuar meu passeio e la fiquei um tempao trocando idéia com um pessoal gente fina. As pessoas acham mesmo que vivemos vendendo banana e morando na selva falando dialletos (não que seja uma total INverdade). De volta ao hostel ja meio “atordoado” como diz minha saudosa avó, vi que estava rolando um Happy Hour com Pints de Bavaria a €2 e la fiquei.

Acordei hoje e ao meu lado estava dormindo um alemão que logo de manha ja estava enrolando seu Join para ir de volta a Alemanha. Coisas de Amsterdam! Logo aqui do lado tem o museu Rijiks que tras todas as melhores obras holandesas num acervo de cair o queixo. La passei algumas horas, mesmo por que o museu nao é taaaaao grande, mas tem obras de ficar olhando tempos.

Saindo de la fui caminhar para o centro velho de Amsterdam e vi muita coisa legal de arquiteturas unicas. Passei pelo Madame Tussauds e estava bem vazio, mas pelo preço pensei em esperar para ir no original que fica em Londres (€25). E finalmente cheguei na Central Station que é um monumento incrivel. Tentei ver da onde sairia meu trem amanha, mas nao deu muito certo, tava com fome e sai para manda um “All you Can’t Eat” japones e olha, foi animal comer como um animal um otimo peixe e um sistema diferente do Brasil. Aqui eles trazer um cardapio e voce vai marcando a ordem que quer receber as comidas e pensa isso no nosso querido país tupiniquim! Ahahaha duvido que ia funcionar.

Fui fazer a digestao andando em direção a ponte que abre para barcos passarem e é longe e nada demais ahahaha. Sentei num café e tomei um excelente Chocolate.

Coisas que so repara no ultimo dia, tem agua de graca pela cidade inteira em torneiras e escrito Free Water. Boa dica para mochileiros e pessoas com sede!

Agora no hostel tomando uma água gratis estou esperando o que farei hoje. Amanha tem experiência nova de andar de Speed Rails e da-lhe frio na barriga.

Welterusten Brazilië.
Edu

20120418-201104.jpg

20120418-201118.jpg

20120418-201131.jpg

20120418-201142.jpg

20120418-201203.jpg

20120418-201225.jpg

20120418-201234.jpg





Day 9 – Amsterdam

17 04 2012

Aqui no hostel que estou nao ha muita organização de cama. Os demais que estive voce recebe o numero da sua cama e ponto, é la que vai ficar ate o final da sua estadia. Aqui cada um esta ficando na cama que quer e isso gerou uma briga (de socos e pontapés) durante a madrugada, pois um amiguinho Americano tomou todas e fumou toda a maconha da Holanda e encrencou que o cara que estava dormindo na cama dele deveria sair. Foi ridículo por que nenhum dos dois sabia brigar e pareciam duas gazelas se dando tapas. O gerente veio no quarto e acalmou os ânimos e dormi novamente.

Acordei bem cedo para tomar o cafe tranquilo e sai em direção ao Van Gogh Museum que fica bem pertinho daqui do Hostel. No caminho resolvi alugar uma bike e experimentar a sensação de pedalar na cidade com mais bicicletas no mundo. O aluguel pelo dia sai €14 e a bike é bem simples, mas nem precisa de muita coisa por que aqui sao so canais e retas. Ja havia comprado o ingresso do museu e sai para pedalar em volta do museu e ver a famosa placa I Amsterdam que consegui boas fotos por ser bem cedo e nao ter tantos turistas ainda.

O Vang Gogh Museum tem uma palavra que o resume, UNICO. Sao tantas obras de Van Gogh e tanta historia que da ate uma depressao de pensar que verei mais uma vez daqui um tempo mas enchi meus olhos com as texturas mais incríveis do planeta. Durante o passeio haviam todos os japoneses do mundo la com suas câmeras enormes e chapeis engraçados comprando todos os suvenirs que possam carregar. Sai de la realizado!

Lembram-se que estou de bike e aqui em AMS você deixa a bike na rua com a corrente e pode acreditar que ninguém vai roubar ou mexer e nao ha por que se preocupar como fiquei dentro do museu pensando que poderiam levar o depredar. La estava ela, vermelhinha e intacta. Sai de la sem direção e o que encontro logo pela frente? HEINEKEN EXPERIENCE. Para quem nao sabe, a Heineken é holandesa e tem um museu com sua historia aqui em AMS e o nome ja dia, Experinece. É demais andar pela antiga fabrica e ver todos os detalhes do construção da marca, das etapas de fermentação da cerveja e outros detalhes incríveis. Durante o tour, se passa por salas diferentes e chega a um salao onde recebe um copo de cerveja e aprende-se a beber ela e degustar os sabres do lúpulo. A essa altura eu me senti na Diney com o pateta em forma de cerveja na minha frente.

Ao final, pode tomar um Pint de Heiniken e na boa? Foi o melhor chopp que tomei na minha vida sem duvida alguma. Na saída ha uma loja com tudo o que puder imaginar sobre a cerveja e lógico que comprei coisinhas. Peguei minha bike e essa altura ja fazia muito frio e fica dificil ate de pensar Fui em direcao a famosa Red Light District para ver o movimento e sim, ha putas por todos os lados. Algumas bem bacanas e outras que parecem a Vera Verao nos últimos dias de Aids. Triste de ver. Ahahahahahahaha

Entrei em uma loja que vende todos os tipos de drogas (as legalizadas) como cogumelos mágicos, special cakes, cachimbos, enfim tudo para pirar a cabeça. Na volta me perdi bonito e fui parar do outro lado da cidade mas sem existem anjos que te ajudam a voltar ao seu caminho. Parei para dar um respirada e optei em come no FEBO, uma rede que vende comidas em janelinhas. Heim, janeilinha? Isso, existem hambúrgueres, salsichas, lanches e tudo bem barato. Mandei um hambúrguer por €1,50 e muito bom viu. Senti ei num cafe e consegui falar com o Johnny (Paris nos espera irmao bastardo) e demos boas risadas.

Juro, eu tentei sair em durecao a casa da Anne Frank mas comecou a chover e AMS é assim, faz frio porra! Ahahahahahahaha voltei pro hostel e acho que hoje vou ficar por aqui que rola um HH legal com boas Bavarias.

Aquele abraço a todos
Edu

20120417-185924.jpg

20120417-185944.jpg

20120417-185955.jpg

20120417-190052.jpg

20120417-190104.jpg

20120417-190126.jpg

20120417-190150.jpg

20120417-190207.jpg

20120417-190225.jpg





Day 8 – Adios Barcelona, Hello Amsterdam

16 04 2012

20120417-001835.jpg

Nao posso mentir que hoje nao estou triste. Estou indo embora de Barça com um sol lindo no céu e com ótimas lembranças. Quero aproveitar este momento tao sublime estou escrevendo em meu vôo ate Amsterdam e dizer que estou com medo. Sem mais!

Tomei meu tímido cafe no hostel hoje acompanhado de uma porção de africanos que haviam chego ontem e causaram uma bagunça generalizada nos corredores de noite. As americanas levantaram e deram um esporro, mas nada adiantou. Ahahahaha, eu dei risada! Os caras sao gigantes e comem em media 100 paes no cafe. É impressionante e nao só os meninos, as garotas comem muito também.

Tomei meu rumo a Plaça de Catalunha para apanhar o AirBus que me trouxe agora me leva de volta ao aeroporto. Como hoje é uma segunda-feira, todos os cantos de Barcelona estão executivos, executivas, estudantes e indianos apressados para abrirem suas lojinhas. Como nao comentei sobre as bikes, hoje é um bom dia pois entendi todo o mecanismo. Todo cidadão espanhol tem direito a um cartão que pode ser recarregado com créditos para alugar as bikes que ficam em pontos estratégicos. Uma vez com o ticket validado, retira-se a bike e faca seu percurso ate o próximo ponto onde se deixa a bike. O Rio de Janeiro esta implantando essa maneira de alugar bikes, mas ja li relatos de depredação (jura?).

No caminho ao aeroporto tive que me desligar um pouco de Barça e começar a pensar em Amsterdam (que chato neh). Vim lendo o meu guia que tem boas informações, inclusive de como acessar a cidade apartir do aeroporto.

Bem, meu CheckIn demorou um pouco para ser feito, pois o aero de Barcelona é gigaaaante e adivinha se nao desci no ponto errado. Deveria ir ao terminal 2 e estava no 1 mais perdido que azeitona na boca de banguela. Fui lendo placas e cheguei a um ônibus que faz o trajeto entre os terminais e la fui para o terminal da Easy Jet que fica bem isoladas demais companhias. Sem problemas fiz meu CheckIn e depois reparei que bem na frente da fila existe uma “caixa” que você encaixa sua mala para ver se precisa despachar ou pode embarcar.

Ao passar no detetor de metais fui revistado de verdade. Tirei os tênis e tudo. Passei pelo FreeShop que é bem fraquinho e comprei umas batatas e água pois tinha 2 horas de espera. E se passaram as 2 horas e fui para o embarque onde novamente é necessário experimentar sua mala e isso causa confusão no embarque. Agora voando e uma saída espetacular de Barcelona com direito a turbulência e uma vista de cair o queixo.

A chegada em Amsterdam nao podia ser mais legal também. Super vistas do avião de campos de tulipas e montes lindos. O desembarque é tranquilo mas ja saindo do aviao vi que o frio tao comentado de AMS é verdade e que frio meu. Fui pegar minha mochila e começa a sessão de risos de olhar as placas e nao entender absolutamente nada do que esta escrito. Na Holanda todos falam Ingles, mas quando querem senão respondem em Holandês mesmo uma língua fácil de ser compreendida.

Tomei um trem que sai do maravilhosos aeroporto para a Central Station e entrei na primeira classe e fui chamado a atenção por tamanha invasão. Desci na estação indicada por pesquisas minhas e tomei o meu primeiro Tran que é um bonde que passa por toda AMS, digamos que um pouco mais moderno que Lisboa. Dentro do Tran conversei com o “maquinista” que fica no meio do tram e ele me ajudou a chegar no meu destino final e enfim no meu hostel. Super bacana, no meio do parque mais cobiçado da cidade, mas acho que o mais gelado também. Me alojei e sai para dar uma volta e estou no meio da cidade o que é uma enorme vantagem para viajantes pois consegue evitar pagar o transporte.

AMS é mais do que qualquer foto que ja viram pois ha uma energia que faz a cidade ficar bonita, animada e aquecida pela sua noite. Fiquei tomando umas cervejas num bar e ouvindo um caraoke bem engraçado de pessoas chapadas e bêbadas cantando musicas divertidas. De volta ao hostel, preciso dar um descansada que amanha vou encontrar com meu amigo de infância Vincent, el Van Vogh.

Night night Brasil!

Edu

20120417-001900.jpg